A conversão e a mudança de vida não são mensagens exclusivas do tempo da Quaresma. Elas têm de acontecer em todos os tempos e de todas as formas, e em ntodos os membros da Igreja e, porque não, da sociedade.
Este mundo e esta Igreja precisam de se transfigurar: não será com máscaras, mais ou menos interessantes e agradáveis a quem vê o cortejo passar, mas com a grandeza de uma vida limpa e transparente, deixando cair ou retirando todas as máscaras, quaisquer que sejam aqueles que, por detrás delas, escondem a realidade, se encobrem a si próprios e não deixam vir ao de cima a riqueza da verdade e a força transfiguaradora da graça de Deus.
Só uma sociedade sem máscaras e uma Igreja sem mentira nos poderão permitir dizer com alegria e seriedade: ” Mestre, como é bom estarmos aqui!” P.C.L.

Deixe uma resposta