Se pensarmos bem e formos corajosos na análise sem reservas, verificamos que a vida de cada um de nós está cheia de máscaras Na verdade nós não temos a mesma atitude e a idêntica sensibilidade diante de todos: Aqui mostramos tudo o que somos, acolá escondemos a cara com a máscara da conveniências; aqui queremos que os outros sejam verdadeiros, acolá colocamos a máscara risonha da hipocrisia; aqui somos aquilo que somos, acolá escondemos o que somos para parecermos o que não somos. Concordo que brinquemos com as máscaras no Carnaval. Não concordo, porém, que o ano tenha 365 dias de uma contínua e bem representada acção carnavalesca.
Estar na vida como cristãos exige-nos uma atitude aberta: olhar para toda a gente com os olhos de quem vê em cada um e em todos um irmão, um igual a nós, um filho de Deus.
Se entrar na quaresma com máscara de santo… retire-a e aceite-se pecador. (P.C.L.)

Deixar uma resposta