O sonho de um dia novo, que em cada manhã começa, não nos deixa indiferentes: temos planos e projectos, preocupações e canseiras, objectivos a atingir, caminhos a percorrer.
O que significa isto senão sonhamos diariamente um mundo novo? Passa pela nossa acção de cada dia o contributo para a construção do nosso futuro e do futuro da humanidade.
Importa, pois, não nos deixarmos perder nos caminhos do desânimo, da desilusão, da sonolência ou da acomodação; importa manter um contínuo estado de alerta. Em qualquer sítio o perigo nos espreita. Reparemos nas palavras de S. Paulo, que tão bem definem o caminho:
“Abandonemos as obras que são próprias da escuridão e usemos as armas que permitem lutar à luz do dia. Portemo-nos honestamente como pessoas que vivem à luz do dia, não em comezainas e bebedeiras, não em imoralidades e vícios, não em rivalidades e invejas.
Como quem se veste de novo, vistam-se do Senhor Jesus Cristo, e não se deixem arrastar pelos instintos da natureza humana.”
Assim sonho e quero preparar e viver o Natal. (P.C.L.)

Deixe uma resposta