O Património Paroquial é administrado e zelado  pelo Conselho Económico da Fábrica da Igreja (Designação jurídica de Paróquia.)
Porém, o Conselho Económico, a que preside o pároco,  não é senhor e dono dos bens.  A Paróquia é a proprietária dos seus bens. Porém, e para defesa do património, os bens das Igrejas locais não podem ser adquiridos ou alienados sem autorização diocesana para cada caso.
É, por isso, que, quando se renova o Conselho Paroquial, deve ser verificado todo o inventário paroquial, a fim de que nada se perca.