Quem ouve os blocos informativos da rádio em poucas palavras alcança o núcleo essencial das notícias; quem vê os noticiários da televisão recebe uma avalanche de superficialidades e publicidades que, habitualmente, se sobrepõem ao essencial.
Nesta Igreja que nós somos discutimos leis, regras, opiniões. Temos opinião sobre tudo, sabemos de tudo e, quando interpelados directamente, refugiámo-nos no acessório muito bem camuflado na resposta “eu cá tenho a minha fé”. O essencial fica escondido porque está envolvido com muitas roupagens, protecções e insignificâncias.
O ensinamento de Jesus vai ao essencial, ao mais profundo, ao mais difícil, àquilo que verdadeiramente não queremos discutir: EU AMO A DEUS? EU AMO O PRÓXIMO COMO A MIM MESMO? Não são dois mandamentos. É um só, é o mesmo! (P.C.L.)

Deixar uma resposta