A partir do dia 30 de Maio, as comunidades cristãs poderão voltar a celebrar comunitariamente a sua fé, observando, no entanto, algumas regras, acordadas entre as autoridades sanitárias e a Conferência Episcopal Portuguesa. Para facilitar a celebração e o modo de nela participar, apresenta-se este Guia Prático.

 

ANTES DA MISSA:

Aos fiéis que estão ou se sentem doentes pede-se que se abstenham de participar na missa dominical. Estão dispensados do preceito, como a Igreja sempre ensinou. Podem fazê-lo, no entanto, se o desejarem, na missa diária. Ao domingo, poderão seguir a Eucaristia através do facebook da paróquia; ler, rezar, meditar os textos desse domingo e receber a comunhão em suas casas, mediante um pedido formal, para se convocar um Ministro Extraordinário da Comunhão.

NA HORA DA CELEBRAÇÃO:

  1. Dirija-se à porta de entrada da igreja. Só haverá uma porta de entrada, a porta principal.
  2. Coloque a máscara, pois é obrigatória; sem esta, não poderá aceder à igreja.
  3. Desinfecte as suas mãos com álcool gel (obrigatório).
  4. O seu lugar será indicado por um membro da Equipa de Acolhimento.
  5. Não há lugares marcados. Devem ser ocupados do altar para o fundo da igreja, por ordem e seguidos, porque não poderá haver cruzamento de pessoas dentro da igreja.
  6. Chega-se ao lugar através do corredor central da igreja (e só por este).
  7. Só poderão entrar o número de pessoas que, nestas circunstâncias, a igreja comporta, tendo em conta as normas das autoridades. A nossa igreja comporta cerca de 100 pessoas, para além dos ministros da celebração, leitores e cantores.

 DURANTE A CELEBRAÇÃO: 

  1. Os fiéis ocupam os lugares previstos e por ordem de chegada, sem intervalos de lugar para lugar, obedecendo às indicações da Equipa de Acolhimento.
  2. Os fiéis que sintam algum mal-estar devem chamar um elemento da Equipa de Acolhimento e sair, de imediato, da igreja, por uma das portas de saída (porta lateral).
  3. Os acólitos serão os estritamente necessários para cada celebração.
  4. Os leitores e cantores, quando subirem ao ambão para proclamar a Palavra, devem desinfectar as mãos e repetem o mesmo gesto ao descerem para o seu lugar).
  5. Não serão distribuídas quaisquer folhas, antes ou durante a celebração.
  6. O ofertório será feito à saída da Eucaristia, nas portas laterais da nossa igreja, onde se encontrarão as pessoas com as cestas para receber a generosidade dos participantes.
  7. O sacerdote e diácono desinfectarão as mãos antes da apresentação dos dons.
  8. Apenas o sacerdote e o diácono (quando presente) pegam nas oferendas e nos vasos sagrados.
  9. O cálice e a patena deverão estar cobertos com a respectiva pala, apenas se destapando para a consagração.
  10. Durante este tempo de pandemia, não haverá o gesto da paz.

 NA COMUNHÃO: 

  1. Os fiéis, que estejam preparados para a comunhão, sairão do seu lugar pelo corredor central da nave da igreja e das naves laterais, seguindo as orientações da Equipa de Acolhimento, mantendo as devidas distâncias.
  2. Dois lugares antes da Ministro da Comunhão, retiram a máscara.
  3. Recebem a comunhão na mão e em silêncio (não haverá diálogo).
  4. Comungam, retirando-se para o seu lugar pelos corredores laterais da nave central e das naves laterais (e só por estes) e colocam, de novo, a máscara.

 AO TERMINAR A CELEBRAÇÃO: 

  1. A porta de entrada estará fechada.
  2. A saída faz-se por uma das portas laterais, seguindo as indicações dos membros da Equipa de Acolhimento e guardando as distâncias.
  3. O ofertório da Eucaristia será feito neste momento de saída.
  4. Após a celebração, o espaço da igreja deverá ser arejado e desinfectados os puxadores e maçanetas.

 

Deixe uma resposta