Guião para uma liturgia familiar

11.04.2020 | Parte da noite

Introdução

Continuamos à volta da mesa, como centro da celebração: “Comemos a Páscoa do Senhor”. A preparação jubilosa da Páscoa consiste em pôr a mesa com uma toalha branca, os melhores talheres e louça que houver em casa e, na medida do possível, algum arranjo de flores ou ramos verdes a adorná-la. Numa palavra, que a mesa esteja o mais bela possível. Como na Igreja, na Vigília de sábado para domingo, começaremos no escuro ou em penumbra para experimentar esta “passagem” das trevas para a luz; do pecado para a graça, da morte para a vida;

Começa-se junto à entrada da casa, para recordar que a nossa oração é como o Sangue do Cordeiro com que os hebreus, na noite da Páscoa do Senhor, marcaram os umbrais e a padieira das portas das suas casas, para se defenderem do flagelo da morte que atingiu o País do Egipto, como agora este flagelo da covid-19 nos está a atingir.

Um pouco, à imagem do que é hoje a celebração da Vigília Pascal, vamos realizar a nossa liturgia familiar em quatro “liturgias”: a liturgia da Luz, a liturgia da Palavra, a Liturgia Batismal e a Liturgia da Partilha do Pão e do Vinho ou de outros alimentos na ceia ou depois da ceia familiar.

 

Notas importantes:

  1. Convém analisar previamente o guião, para preparar o que for necessário e adaptar o que se entender por mais adequado. Podem realizar-se apenas algumas das propostas.
  2. As funções atribuídas para a leitura dos textos ou para a realização dos diversos gestos devem ser adaptadas à composição humana de cada família e às possibilidade e recursos da mesma.
  3. Colocar, às 21h30, uma vela à janela de casa ou em lugar visível.
  4. Ao toque dos sinos da Igreja (ou depois da Oração em memória do Batismo, lavar os olhos com água – cf. 3.3). Em alguns países, as mães, as avós levam as crianças a lavar os olhos com água, a água da vida, como sinal para poder ver as coisas de Jesus, para poder ver as coisas novas.
  5. Se a ceia de sábado à noite tiver lugar antes desta liturgia familiar, deverá aproveitar-se por começar a refeição, com a proposta enunciada no ponto 4.1., o qual prevê a bênção da mesa.
  6. Se esta liturgia familiar inclui e concluir com jantar e ceia, então faz-se a oração e a bênção da mesa, no preciso momento que precede a ceia.
  7. Para os cânticos, pode fazer-se uma busca no google ou no Youtube.

Deixe uma resposta