Olhando para a realidade da família, da educação, das seduções contínuas, será fácil reconher que muito difícil ser pai, que hoje a educação é muito difícil, que os pais são ultrapassados pelo que vem de fora: comunicação social, escola, ambientes. Parece estar tudo à deriva.
Mas não é menos difícil ser irmão. Os irmãos, estando ao mesmo nível de filhos, são diferentes mas são irmãos, têm feitios diferentes mas são irmãos, têm projectos diferentes mas são ir-mãos, diferentes maneiras de estarna vida mas são irmãos. Nunca por nunca podem ser inimigos, nem durante a vida dos pais e muito menos depois da sua morte.
Quando queremos uma festa só para nós, quando viramos costas aos irmãos e aos pais, não será especialmente por não conseguirmos ultrapassar a barreira dos bens que só dividem e causam feridas e dores incuráveis? Irmãos são sempre irmãos. Por isso, nunca deverão impedir a festa pela alegria de o serem. Sempre, mesmo quando é preciso perdoar! P.C.L.

Deixar uma resposta